Novo Relatório de Pesquisa de Mercado da fibra de vidro em todo o mundo

Manta fibra de vidro

desempenho versátil e de baixo custo da fibra de vidro tornou uma fibra de reforço líder na fabricação de produtos plásticos. A fibra de vidro da indústria global está estreitamente interligada com a construção, transportes e indústria automotiva. Com os setores de transporte e construção de um slide para baixo, especialmente na América do Norte e Europa, a indústria de fibra de vidro também foi prejudicada. O abrandamento do mercado imobiliário corroeu a demanda por materiais de isolamento. Dificultada pela desaceleração da demanda crescente e estoques, os fabricantes de todo o mundo recorreram ao encerramentos temporários de linhas de produção. A indústria da fibra de vidro enfrenta desafios devido à maior capacidade, além da forte concorrência de outros materiais de isolamento, como lã de rocha, celulose e isolamento de espuma que são amplamente a substituição da fibra de vidro em diversas aplicações comerciais e residenciais.

 

Os Estados Unidos, Europa e Ásia-Pacífico dominam a paisagem de contabilidade globais de vidro de fibra para uma parte de leão “do mercado mundial, como afirma a pesquisa de mercado novo relatório sobre as fibras de vidro. Embora a recessão tomou conta do mundo inteiro, as nações em desenvolvimento liderado pelos países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) foram capazes de lidar com a recessão de uma maneira melhor. Estimuladas pelos investimentos de infra-estrutura enorme por parte dos governos destas nações, a indústria da construção é definido como aumento na taxa de crescimento impressionante. O vasto potencial dos mercados asiáticos, especialmente China, espera-se promover o crescimento futuro no mercado de fibras de vidro. Com Ásia se tornando o foco da procura de fibra de vidro, os fabricantes mundiais estão a intensificar as operações de beneficiar de novas oportunidades a região.

fibras de vidro têxtil encontrar aplicação no reforçada, assim como materiais não-reforçada, devido à sua corrosão versáteis e de baixo preço características resistentes. O mercado das fibras têxteis de vidro está sendo impulsionada por uma maior utilização em produtos eletrônicos, como telas de LCD, desenvolvimento de novos mercados, como pás para turbinas de vento ea mudança para fibra de vidro pelo concreto convencional e usuários de aço na indústria da construção. Por outro lado, o isolamento da qualidade do mercado de fibra de vidro, está sendo promovida pelas preocupações crescentes sobre o meio ambiente e do ativismo daí resultante e no melhoramento da infra-estrutura, que é susceptível de aumentar a demanda por fibra de vidro em geral, e de fibra de vidro composto, em particular. Os esforços do governo para reduzir o consumo de energia e recuperação do sector da construção devem fornecer um impulso ao mercado de fibra de vidro grau de isolamento.

Grandes jogadores perfilados no relatório incluem Advanced Fios fibra de vidro, Asahi Fiber Glass Co., Ltd., Guardian Fiberglass Inc., Johns Manville Corporation, Jushi Group Co., Ltd., Knauf, Nippon Sheet Glass Co., Ltd., a Owens Corning Inc., Grupo Paroc, a PPG Industries Inc., Rockwool / A S Internacional, fibra de vidro Taishan, Inc. e do Grupo Uralita.

O relatório intitulado “fibras de vidro: A Global Strategic Business Report” anunciado pela Global Industry Analysts, Inc., análises atuais e futuras perspectivas de mercado, passado o período 2000-2015 por ambos os segmentos de produtos e indústrias utilizam-final. segmentos-chave do produto analisados incluem lã de vidro de isolamento e fibras de vidro têxtil. usar os segmentos-End analisados no estudo incluem a construção, veículos a motor, equipamentos eléctricos e electrónicos, Bens de Consumo e Outros. padrões de demanda latente são quantificados em todos os mercados geográficos, incluindo Estados Unidos, Canadá, Japão, Europa, Ásia-Pacífico (excluindo Japão), Oriente Médio e América Latina.


Owens Corning beneficia mercado de energia eólica no Brasil

A Owens Corning (OWENQ.OB) anunciou na Conferência e Exposição de Energia Eólica Européia em Atenas, Grécia, um avançado tecido de malha e roving direto contínuo, WindStrand™, que permitirá ao mercado de energia eólica ser bem-sucedido na competição com outras fontes de energia alternativa, reduzindo o custo por kilowatt-hora (kwh). O produto permitirá que os fabricantes de turbinas aumentem os comprimentos das lâminas em até 6%, com 12 % mais potência e um custo menor em até 20 % em relação a qualquer outra solução híbrida de fibra de vidro/carbono da concorrência atualmente no mercado.
Além das vantagens de custo e desempenho do WindStrand, o produto também fornece aos fabricantes a tradicional capacidade de processamento de fibra de vidro, combinada com a alta rigidez e resistência e o peso favorável de outros materiais de alto desempenho. Outros destaques do produto comparados com o E-glass convencional incluem:

• Até 35 % a mais de resistência à tração
• Até 17 % a mais de rigidez (módulo)
• Maior resistência à fatiga, impacto, envelhecimento, corrosão e calor

Uma nova e revolucionária plataforma de reforço
O produto, que estará disponível comercialmente no final de 2006, é a primeira aplicação a utilizar a nova plataforma de reforço de alto desempenho, HiPer-tex™ da Owens Corning, resultado de uma revolução na tecnologia de fundição, fiação e dimensionamento da fibra de vidro. O novo reforço será produzido utilizando o processo de fabricação de fibra de vidro de próxima geração da empresa, o qual tem um impacto ambiental significativamente menos agressivo que outras tecnologias atualmente em uso. As estatísticas de desempenho do WindStrand baseiam-se no extensivo teste beta em campo e na otimização do design da lâmina desenvolvida por um estabelecimento de pesquisa independente sediado na Holanda, CTC (Centro de Tecnologia de Compósitos). O CTC estudou os efeitos da substituição do tradicional E-glass pelo WindStrand em vários componentes de um rotor ou lâmina de 44 metros, adequado para uma turbina eólica de 2,5 MW. Com isso, a empresa demonstra o seu firme compromisso com o objetivo de “Inovação para a Vida” proporcionando soluções para o homem, ansiosamente a procura de mais energia limpa e renovável”, destaca o executivo.

Poste para instalações elétricas mais leve e resistente utiliza fibra de vidro e resina

Dois pesquisadores da Escola de Engenharia da UFMG desenvolveram uma nova tecnologia para fabricação de postes para redes elétricas. Carlos Alberto Cimini Junior e Estevam Barbosa de Lãs Casas aplicam a configuração semimonocoque em um material composto com fibra de vidro e resina. O conceito é inspirado em estruturas aeronáuticas como as usadas em fuselagens de aviões. Por isso o poste é extremamente leve e, ao mesmo tempo, rígido e resistente, podendo ser alternativa para substituir os de iluminação convencionais de concreto, aço ou madeira, nas redes de transmissão de energia elétrica.

Grandes empresas, como a Cemig, já manifestaram interesse pela tecnologia. Outra possibilidade de aplicação é como suporte de turbinas eólicas, mercado em expansão no cenário internacional. Para melhor aproveitamento da potência do vento são necessárias torres de no mínimo 30 metros de altura. A estrutura semimonocoque permite a fabricação de postes com alturas mais elevadas, mantendo a leveza e a resistência.

 

Governo espera até 9 mil MW em parques eólicos nos próximos leilões

Aerogerador

energia eólica

Clipping

Leilão

Governo espera até 9 mil MW em parques eólicos nos próximos leilões

Luciano Costa – Jornal da Energia – 09/02/2011

EPE não pensa em prorrogar prazo para cadastro de investidores, que vai até 18 de março

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE), órgão de planejamento do Ministério de Minas Energia, estima que algo entre 6 mil MW e 9 mil MW em parques eólicos devem se cadastrar para os leilões de energia de reserva e A-3, marcados para o final do primeiro trimestre deste ano. Segundo o presidente da EPE, Mauricio Tolmasquim, essa previsão tem como base o número de usinas habilitadas tecnicamente para os últimos certames da fonte.

Nas últimas semanas, a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica) pediu um prazo maior para que os investidores se cadastrem na licitação. Segundo a portaria publicada pelo MME, esse período de cadastro e habilitação vai até 18 de março, mas, para a associação eólica, seria interessante uma data limite em meados de maio. O presidente da entidade, Ricardo Simões, acredita que cerca de 10 mil MW em usinas devem estar na concorrência caso o governo de mais tempo para os empreendedores.

Para Tolmasquim, porém, o prazo colocado pelo ministério é suficiente, uma vez que a maior parte dos parques que vai concorrer na licitação já esteve em outros certames e, portanto, já possuem dados e documentação adequada para conseguir a habilitação técnica junto à EPE. “Todo ano tem isso. Eles (os investidores) têm um ano para se preparar, então, teoricamente, já estão prontos”, assinala o executivo do governo. “Não temos a intenção de mudar a data, a não ser que aconteça algum fato de maior gravidade”, adianta Tolmasquim. Segundo ele, o certame deve ser marcado para o fim de junho.

O presidente da EPE procura não fazer estimativa quanto ao preço que deve ser atingido no leilão, mas mostra otimismo. Nos últimos certames o preço da energia eólica tem caído, atingindo em 2010 o valor médio de R$133 por MWh. “A energia eólica atingiu um patamar muito competitivo. A cada ano temos sido surpreendidos, então espero ser surpreendido de novo”, comenta Tolmasquim. Ele lembra que embora exista uma tendência de os melhores projetos já terem sido viabilizados, nenhuma evolução da tecnologia, que favorecesse o barateamento da fonte, ocorreu.”  A eólica atingiu um preço competitivo de mercado, e isso é espetacular”.

10 de fevereiro de 2011 – Quinta-Feira – N# 534

Prefeito e Secretário do desenvolvimento de Rio Claro visitam as instalações da ANCEL

Sercretário João Zaine, Eduardo(ANCEL), Gustavo(ANCEL), Celestino(ANCEL), Prefeito Dú Altimari, Cristiano(ANCEL)

O Prefeito de Rio Claro Dú Altimari, juntamente com o secretário do desenvolvimento da industria e do comércio  visitaram nesta manhã de quinta-feira as novas instalações da ANCEL. Eles foram recebidos pela diretoria da empresa que acomanharam as autoridades pelas novas instalações. O prefeito ficou muito contente e satisfeito com o que viu. “Nós Rio Clarenses ficamos muito contentes em ter em nossa cidade uma empresa como esta” comentou. A ANCEL tecnologia em Compósitos esta a mais de 36 anos situada em Rio Claro, gerando impostos e fonte de renda para mais de 100 familias diretamente. Hoje a ANCEL está inciando uma nova fase e esta investindo em novas máquinas e tecnologias para atender vários segmentos da industria. “Ficamos muito felizes com a visita” comentou o fundador da empresa o Sr. Celestino Kemerer. Na ocasião da visita estiveram presentes também representantes de uma importante empresa do ramo de ônibus que fica localizada no Rio Grande do Sul e que busca junto a ANCEL uma futura parceria.

Lista das empresas que mais cresceram segundo a REVISTA EXAME, inclui fábrica de Rio Claro

REVISTA EXAME PME AS 200 QUE MAIS CRESCERAM

Uma empresa de Rio Claro está na lista das 200 empresas que mais cresceram entre 2006 e 2008 feita pela revista Exame. ANCEL ocupa a 31ª posição.

A revista Exame lançou recentemente o quarto estudo anual Exame PME/Deloitte, que aponta pequenas e médias empresas que mais cresceram no País nos últimos três anos (de 2006 a 2008). A seleção das empresas foi feita com base na receita líquida entre 2006 e 2008.

Todas as empresas com receita entre R$ 5 milhões e R$ 200 milhões, com sede no Brasil e atuantes há mais de cinco anos, puderam se inscrever para participar da pesquisa.

As empresas responderam a um questionário elaborado pela Deloitte pela revista Exame. Os organizadores da pesquisa receberam 587 questionários, dos quais 357 foram selecionados e originaram os finalistas. O novo ranking conta com 200 participantes, o dobro das edições anteriores. O resultado da pesquisa foi publicado na edição XXX da Revista Exame, dos meses de agosto e setembro.

O ranking Exame PME inclui uma empresa de Rio Claro: A ANCEL TECNOLOGIA EM COMPÓSITOS, que ocupa a 31ª lugar. Segundo a pesquisa, a ANCEL apresentou um crescimento de 188,9% nos últimos três anos. Somente 2008, o índice de crescimento foi de 70%.

Para o diretor comercial da ANCEL, Gustavo Kemerer, a inclusão da empresa no ranking representa o reconhecimento do trabalho desenvolvido rumo à profissionalização da companhia que abandona a condição de gestão familiar.

De acordo com ele, a inclusão da ANCEL no ranking abre as portas, porque o mercado começa a olhar a empresa de forma diferente. “A empresa deixa a condição de regional para entrar no cenário nacional. É uma visibilidade fantástica”, comenta Kemerer. Esse fato acontece porque a pesquisa é um trabalho sério que tem a credibilidade do mercado.

Kemere destaca como um dos pontos fortes desse reconhecimento a união familiar, que tornou possível essa conquista. O diretor também credita esse bom resultado ao novo segmento adotado pela empresa: a energia eólica, proveniente do vento. Kemerer afirma que esse setor está em franco crescimento no mundo, que está voltado para a produção de energia limpa. Hoje a ANCEL tem contrato firmado com uma empresa alemã que está em vias de fechar outro com uma empresa Argentina.

O crescimento da empresa, no mercado há 35 anos, pede novas instalações. Uma nova fábrica está sendo construída no Distrito Industrial numa área de 53 mil metros quadrados. São 5.400 mestros de área construída com investimento de R$ 4,5 milhões. De olho no futuro, a ANCEL está desenvolvendo dois produtos próprios: um bugue, que está em fase de finalização, e outro projeto ainda mantido em segredo, que devem alavancar ainda mais o nome da empresa.

Colaboradores da OWENS CORNING visitam a ANCEL

Com o propósito de levar os seus colaboradores a conhecer melhor os processos que são usados na fabricação de peças em fibra de vidro e suas aplicações o depto. de RH da OWENS agendou uma visita a unidade fabril da ANCEL. Os colaboradores foram recepcionados pelo diretor comercial da ANCEL Sr. Gustavo Kemerer, que fez um breve resumo da história da empresa. Logo após o café todos foram conhecer a planta e ver em loco o uso da matéria-prima fabricada por eles na OWENS. O Sr. Gustavo Kemerer acompanhou o grupo e explicou tecnicamente como a peça era produzida e todos os detalhes técnicos relacionados a sua produção. Muitos colaboradores da OWENS relataram a importância da visita feita ao clinte final e que esse tipo de atividade tem um efeito muito positivo na produção. No final todos se confraternizaram e juntos pousaram para uma foto!

Diretor Presidente da ANCEL é homenageado por seu pioneirismo no mercado

Homenagem

Celestino Martin Kemerer, sócio proprietário da ANCEL TECNOLOGIA EM COMPÓSITOS LTDA, foi homenageado pela VI Fiberglass, distribuidor de matérias-primas para o mercado de compósitos, por seu pioneirismo e pela contribuíção para o crescimento do mercado de compósitos ao longo dos 40 anos de Brasil. 

A homenagem foi entregue pelo diretor comercial da VI Fiberglass, Américo Potenza, durante a FEIPLAR COMPOSITES & FEIPUR 2006 – Exposição e Congresso Internacionais de Composites e Poliuretano, que constitui hoje a maior feira do mercado no Brasil. 

À solenidade estiveram presentes vários representantes do setor, fabricantes de peças, produtores de matérias-primas, consultores e o presidente da ABMACO- Associação Brasileira de Materiais Compósitos Henrique Ferraz, entre outros. 

Há mais de 30 anos no mercado, a ANCEL produz projetos especiais em fibra de vidro, que atendem aos mais diversos segmentos da indústria, entre elas: industria química, de máquinas, de papel e celulose, urbanismo, agropecuária, transporte, refrigeração e energia eólica. 

Gustavo(ANCEL); Américo(VI-Fiberglass); Celestino(ANCEL)

Maior coifa do mundo foi feita em Rio Claro

Coifa - 17 m de comprimento

Maior coifa do mundo foi feita em Rio Claro

Diretores da Empresa posam em frente à coifa que foi entregue ontem à Klabin.

Instalação da Maior Coifa do Mundo

Instalação da Maior Coifa do Mundo

(Divulgação)- A Ancel Plásticos Reforçados entregou ontem à Klabin uma  coifa para máquina de papel e celulose fabricada pela empresa. A coifa foi considerada a maior do mundo em sua modalidade, segundo informações da empresa Klabin.

A coifa mede 6,574 metros de diâmetro por 17 metros de comprimento. A peça será instalada na empresa Klabin, na cidade de  Telemaco Borba (PR) .

O projeto foi desenvolvido em parceria com a Metso Paper de Sorocaba, empresa  de origem finlandesa. Toda a parte de engenharia estrutural e definição do tipo de matéria-prima utilizados para a fabricação, foram especificados pela Ancel.

Segundo Gustavo Kemerer, diretor da empresa, essa coifa servirá como referência mundial, sendo publicada em catálagos e revistas especializadas por todo o mundo.

Fábrica movida pelo vento

O aero gerador de energia eólica

O aero gerador de energia eólica

Para termos o conforto de luzes acesas, chuveiros e uma parafernália de eletrodomésticos, há um preço pago pela natureza. E um preço alto. Na ponta oposta, bem distante dos nossos olhos, há a violência de águas represeadas, que alteram ecossistemas inteiros para gerar energia que acende a luz sob a qual você, talvez, esteja lendo neste momento. Ou mesmo as termoelétricas, cujos resíduos da combustão despejados na atmosfera contribuem para o aquecimento global.

Se Dom Quixote fosse real e pudesse ver os moinhos que os homens modernos estão produzindo, nem mesmo ele poderia prever que existem para salvar o planeta. E nesta tecnologia de geração de energia a partir dos ventos, chamada eólica, também há uma enorme contribuição de uma tradicional empresa rio-clarense.

Fundada pelo empresário Celestino Kemerer, no mercado de plásticos há 34 anos, há dois a Ancel produz as carenagens para os motores dos aerogeradores de energia eólica.

Fabricados pela empresa alemã Wobben, os aerogeradores, que dão aquele toque futurista à paisagem, sem agredi-la, estão presentes no Brasil em regiões de grande potencial eólico, como no Sul (Rio Grande do Sul e Santa Catarina) e no Norte do país (Ceará, Paraíba e Maranhão).

Ao passear pelos barracões da Ancel, o cenário parece o de uma ficção futurista: inúmeros trabalhadores lixam, moldam e pintam enormes peças feitas em compósitos, uma mistura de plástico e fibra de vidro.

Família Kemerer, na planta de montagem da Ancel

Família Kemerer, na planta de montagem da Ancel

Gustavo Kemerer, diretor comercial da Ancel, não esconde sua satisfação em colocar em prática algo que, ao mesmo tempo em que gera empregos e lucro, contribui com a preservação ambiental.

“Foi e é um desafio fascinante. Fomos procurados pela direção da Wobben há dois anos para produzir estas carenagens. De lá para cá, os pedidos só aumentaram.”

Para atender à empresa alemã, a Ancel segue um padrão rigoroso de procedimentos e conta com a presença constante de um técnico da Wobben na inspeção e controle das peças.
Antes deste trabalho para a Wobben, a Ancel participou da implantação do parque eólico de Beberibe, no Ceará, e agora se prepara para trabalhar em conjunto com a Wobben no Vale dos Ventos, localizado na Costa Rica. “Nossa intenção é, futuramente, produzir também as pás, que chegam a medir 80 m de comprimento e envolvem um processo delicado e preciso.” Para colher ainda mais bons ventos, a empresa rio-clarense está construindo sua nova unidade fabril, localizada no Distrito Industrial.